Usa smartwatch regularmente? Será que já vale a pena comprar?

59

Quantas pessoas conhece, que ainda usam um relógio tradicional? Em boa verdade, o pessoal mais ‘old school’ contínua com o seu fiel companheiro no pulso. Mas os mais jovens, ou utilizam um modelo por uma questão de estética ou moda, ou simplesmente não usam.

Aliás, quantas vezes é que já ouviu esta afirmação? “Não preciso de relógio, vejo as horas no telemóvel.“

Em suma, se fosse possível ler e responder a mensagens ou até a e-mails? Ver todas as notificações que nos chegam ao telemóvel, ou até fazer uma chamada de voz sem pegar no dito cujo?

Vivemos numa era super tecnológica, em que até para arrumar o carro, podemos usar uma aplicação para pagar o parquímetro! Portanto, numa altura em que fazemos tanta coisa pelo telemóvel… Não fará sentido passar algumas das funcionalidades para o nosso pulso?

O Smartwatch é um gadget que já existe há muitos anos, e é sobretudo, um dos aparelhos tecnológicos, que qualquer ‘geek’ quer ter! Mas será que vale a pena? Afinal de contas, sempre foi algo tido como complemento ao smartphone, e nunca como algo realmente essencial.

Contudo, nos últimos meses temos visto uma renovada aposta neste segmento vindo das principais fabricantes do mundo dos smartphones!

Afinal, com o lançamento do Mate 20 Pro em 2018, vimos a Huawei a lançar o seu sistema operativo para Wearables LiteOS. Similarmente, temos visto a Samsung a lançar novos relógios baseados no seu TizenOS. Aliás, a Samsung lançou o Galaxy Watch Active e Active 2 num espaço de 6 meses.

E talvez mais importante que tudo isto, parece que a Google está finalmente a apostar forte e feio no seu WearOS. Prova disso é o muito recente lançamento do Fossil Gen5, que é o mais próximo que iremos ter a um Pixel Watch, até que a Google decida lançar o seu próprio relógio inteligente.

Tirando isto do caminho… Já muitas vezes me perguntaram, se vale mesmo a pena comprar um smartwatch. E na minha opinião, sim! Aliás, acho que a maioria dos utilizadores, ficariam impressionados, com aquilo que podem fazer num relógio inteligente.

Claro que em boa verdade, originalmente, estes aparelhos eram super caros, e por isso, focados no mercado ‘Premium’.

Mas, há alguns anos, os smartphones também eram super caros, e apenas focados no mesmo mercado… Por isso, escusado será dizer, que as coisas evoluem, e mudam significativamente.

Muito sinceramente, se sair de casa sem um smartwatch, posso dizer, que a minha vida já não vai ser a mesma

Contudo, também é verdade, que ainda não chegámos à altura em que é estritamente necessário ter um destes aparelhos no pulso! Assim, vale sempre a pena fazer um levantamento dos prós e contras, para perceber se os benefícios conseguem justificar o gasto de dinheiro.

O que não deverá ser muito difícil, visto que hoje em dia, temos smartwatches a custar menos de 100€! Isto sem falar das smartbands, como a Xiaomi Mi Band 3 ou a nova Mi Band 4, que oferecem funcionalidades brutais, por menos de 30€.

Similarmente, também temos várias soluções como o Xiaomi Pace ou Stratos, que apesar de não oferecerem a melhor experiência do mercado, são soluções mais baratas e bastante competentes.

Claro que para si, a lista pode ser totalmente diferente da minha, mas o que interessa, é explicar o que cada uma faz pelo seu dia-a-dia.

Receber as notificações no relógio, é sem dúvida uma das funcionalidades chave deste gadget. É simplesmente brutal, conseguir receber os e-mails inteiros, em tempo real no smartwatch, o que nos mantém em bicos dos pés, se por acaso estamos à espera de informação importante.

Mas talvez mais importante para o utilizador comum… É brutal, conseguir ler as mensagens de todas as aplicações de mensagem, sem aparecer aquele ‘Visto’ na janela de conversação. É sem dúvida, uma das melhores maneiras de evitar aquele amigo chato, que está sempre a mandar vídeos de música do YouTube, no Facebook Messenger ou WhatsApp.

Continuar Lendo

Se por acaso é como eu, e adora treinar a ouvir música, esta é uma funcionalidade que parece ter caído do céu. Pelo menos no meu caso, estou sempre a ouvir as PlayLists feitas tendo em conta o meu gosto, no Spotify.

Por isso, de vez em quando lá vem um som menos ‘fixe’! Mas o que não é nada fixe, é ter de me levantar para pegar no telemóvel, e mudar de música… Mas isso era antes, porque agora, apenas preciso de levantar o pulso, e mudar de música.

Além disto, se por acaso quer ir correr, sem levar o telemóvel atrás, a grande maioria dos smartwatches tem memória interna, onde poderá meter alguma música, e posteriormente ligar os seus auscultadores Bluetooth diretamente ao relógio. (Outros como o Galaxy Watch, até podem ser ligados à rede Wi-Fi do ginásio, para fazer streaming de música, sem recurso ao telemóvel.

Esta é seguramente, uma das funcionalidades mais procurada, para quem quer uma smartband ou smartwatch. E sinceramente, é muito bom poder saber a qualquer momento, como está a nossa frequência cardíaca, tanto em repouso, como a meio de uma atividade desportiva.

Aliás, num futuro bem próximo, o smartwatch pode servir como a primeira barreira de defesa, contra um ataque cardíaco. Conseguindo identificar, que algo de mau está prestes a acontecer, avisando o utilizador, e contactando de forma automática, os serviços de emergência.

É extremamente motivador, saber que estamos a atingir as nossas metas desportivas. Aliás, é muito bom saber, que estou a conseguir andar os clássicos 6000 passos por dia, mantendo pelo menos 60min de atividade física, em cada sessão de treino.

Aliás, o WearOS, tem um modo que tenta identificar de forma automática, que exercício o utilizador está a fazer no ginásio, oferecendo ainda um cronómetro, que pode servir para medir o tempo de descanso entre sets.

Esta é uma das funcionalidades que mais me impressionou no Huawei Watch GT e Honor Magic Watch. Estes relógios, são quase ‘doutores do Sono’, de tanta informação que conseguem retirar de cada sesta ou noite de sono.

Afinal de contas, estes relógios até oferecem conselhos, para tentar melhorar a forma de dormir, de forma a maximizar o repouso.

Estamos a falar de um relógio, por isso, como é óbvio… Temos de conseguir ver as horas! E como aqui temos um ecrã com imensa qualidade, podemos ainda ter uma ‘watch face’, que além das horas nos indica a data, e ainda a temperatura e previsões de tempo para o dia.

Apesar de ser uma funcionalidade que teima em chegar a todo o lado. O cartão multibanco, ou levantamento de dinheiro, são cada vez mais, coisas do passado.

Hoje em dia, já temos o MB Way, Google Pay, Samsung Pay, Apple Pay, etc… Por isso, se por acaso gosta de pagar de forma ‘Contactless’, talvez seja boa ideia começar a fazer isso mesmo, com o relógio.

Claro que não é a maneira mais confortável de falar, e por vezes, também não tem a maior qualidade. Mas enquanto vamos correr, ou queremos fazer uma chamada ‘on the move’, é uma maneira rápida e eficaz de nos mantermos contatáveis.

Em suma, hoje em dia, um smartwatch de qualidade já lhe consegue oferecer muito! E por acaso, também já não custam os olhos da cara.

Portanto, se dá valor a algumas destas funcionalidades, talvez seja boa ideia olhar para o mercado, e encontrar algo que lhe encha as medidas.

Fonte: Saúde Mental Descomplicada por Bruno Sampaio (Blogue)