25.8 C
Brasil
quinta-feira, 15 abril 2021
Home Entretenimento Review do filme – Clímax (2018)

Review do filme – Clímax (2018)

O filme dirigido por Gaspar Noé, do gênero terror é um tanto contraditório, apresenta diversos níveis de intensidade. Clímax é um grande exemplo de como a tensão de pessoas normais, quando estão na pior podem render tramas extremamente complexas.

O filme é um sobe e desce de sensações, e conta a história de um grupo de dançarinos que viaja para as montanhas francesas para ensaiar uma coreografia. Durante uma comemoração, um regada a bebida, se dão conta de que batizaram o ponche com drogas e aí a jornada de insanidade toma um caminho completamente diferente.

Clímax
Clímax – 2018

Sinopse – Clímax

A história de Clímax se passa nos anos 90, e o um grupo isolado de dançarinos que vive em um internato, precisa viajar até uma localização próxima da floresta na França, localizado em montanhas bem dentro da floresta para ensaiar uma coreografia importante.

Durante a última festa, eles começam a perceber algo errado e se dão conta de que foram drogados quando uma atmosfera louca toma conta do ambiente. Sem saber muito bem quem foi ou o porquê, os jovens vão entrando em uma série de paranoias, sensações diferentes e psicoses que vão distorcendo cada minuto do filme Clímax.

Leia mais: The Medium: Análise e crítica do gráfico do jogo.

Crítica

Enquanto uns vão para o paraíso, outros vão para o céu. Desde os primeiros momentos do filme, dá pra sentir a atmosfera do ambiente e no decorrer da trama, as cenas de dança, com cenas de conversas vão se misturando de uma forma levemente confusa. Quando de repente tudo começa a dar errado. As batidas frenéticas das músicas vão criando a onda de terror hipnótica e pulsante.

A direção de Clímax é impactante, assim como as atuações. Algumas cenas de coreografia são feitas em plano sequência enquanto Sofia Boutella (protagonista) se debate pelo corredor de forma histérica. É uma obra que parece experimental, mas tem clima pesado e de pesadelo. Brincando entre o terror moderno com um estilo muito mais brutal, tradicional do cinema francês.

 
Susan Nogart
Susan Nogarthttps://manchetesdodia.com/
Susan Nogart, 30 anos. Formada em Ciências Biológicas e Produção de conteúdo para Web, ama animais, ciências e comportamento e é apaixonada por escrever. Trabalha com criação há mais de 10 anos.

Baixe Nosso Aplicativo

Últimas Notícias

Notícias Relacionadas

Deixe um comentário

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui