21.3 C
Brasil
sábado, 22 janeiro 2022
HomeFinanças & InvestimentosMercado imobiliário sofre estagnação em escala internacional: por que isso está acontecendo?

Mercado imobiliário sofre estagnação em escala internacional: por que isso está acontecendo?

Recentemente, a China liberou uma série de informações sobre como deverá lidar com o mercado imobiliário nos próximos anos, para que deixe de ser uma atividade especulativa e tenha algumas certezas. Economistas argumentam, entretanto, que esse setor é responsável por cerca de um quarto do PIB, Produto Interno Bruto, do país. Logo, poderão estagnar economicamente ao criar regras mais rígidas. 

O setor no Brasil passa por dificuldades, mas em relação ao inflamento dos preços e do metro quadrado. De acordo com o IBGE, em outubro de 2021 houve um aumento de 1% no setor e o metro foi para R$ 1.58 mil, maior que o salário mínimo brasileiro que está estagnado a R$ 1,1 mil. 

O preço do ferro e de outros materiais para construção são fatores alarmantes porque passam por um aumento, assim como o petróleo que tem a valorização acumulada na faixa de 60%. Logo, a construção fica mais cara. E não só: um pedreiro, em Santa Catarina, pode cobrar cerca de R$ 40 o metro quadrado apenas para rebocar.

Logo, uma casa de 1000 metros quadrados, que é um dos tamanhos mais comuns, pode custar o valor de R$ 40 mil. Uma casa pré-moldada que já possui os moldes prontos mas é um pouco mais simples está custando na faixa de R$ 1,1 mil pelo metro quadrado. Sendo assim, está cada vez mais difícil aos brasileiros comprarem uma casa própria. 

Preço     Dia mês Ano Data
Ouro 1782.29   8.51 0.48% -0.25% -2.63% 07:04
Prata 22.887   0.089 0.39% -2.67% -5.03% 07:04
Cobre 4.30   0.0190 0.44% -1.76% 23.16% 2021-12-01
Aço 4,268.00   92.00 2.20% -8.92% 0.23% 2021-12-01
Minério De Ferro 100.00   0.50 0.50% -1.48% -23.37% 2021-11-30
Lítio 198,500.00   0 0% 2.06% 384.15% 2021-12-01
Platina 952.09   17.79 1.90% -8.27% -6.15% 2021-12-01

O minério de ferro, de acordo com o G1, teve uma alta de 5% no ano de 2020. E, no mês de dezembro, já no primeiro dia, apresenta variações de 0,5%.  A madeira também está mais cara.

Daiane Souza
Formação em jornalismo pela Uniasselvi. Amante, desde o ano de 2017, pela produção de conteúdos, notícias e redação em geral.

Últimas Notícias

- Publicidade -

Notícias Relacionadas

Deixe um comentário

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui