27.9 C
Brasil
sábado, 31 julho 2021
HomeFinanças & InvestimentosPetrobras é ação preferida dos investidores mesmo com interferência

Petrobras é ação preferida dos investidores mesmo com interferência

Mesmo com uma reação negativa no mercado e muita interferência política, a Petrobras ainda é a ação preferida dos investidores. No meio da crise da pandemia e no momento que o presidente Bolsonaro indicou o general Silva e Luna que agora é ex-ministro da Defesa, a presidência da estatal a empresa sofreu grande interferência no mercado financeiro.

Ainda assim, a Petrobras no mês de fevereiro foi a ação mais comprada pelos investidores. Além disso, a reação do mercado que vem mostrando uma rentabilidade negativa até o momento, teve queda de 16,67% e não atrapalhou o valor das ações.

Leia mais: Petrobras tem lucro de R$ 59,89 bilhões no 4º trimestre, alta de 634%

Rentabilidade caiu

Mesmo com uma queda na rentabilidade anual, cerca de 21,52%, as ações da Petrobras continuam em primeiro lugar tanto da Vale e do Banco do Brasil. A Estatal está atualmente em 4º lugar no ranking da ação preferida dos investidores, ganhando hoje do Itaú e da Vale.

- Continua Depois da Publicidade -

Para o consumidor, é visível o quanto o preço da gasolina aumentou nas últimas semanas, e com isso, muitos questionamentos são levantados sobre a situação da empresa e como isso pode continuar afetando o bolso do brasileiro que já vem tendo dificuldades com a crise.

O aumento da inflação para a ação preferida dos investidores

Todos os acontecimentos do mercado financeiro afetam de alguma maneira o comércio e isso, os brasileiros sentem na pele, principalmente sobre o aumento dos preços dos alimentos. As ações da Petrobras ainda podem pagar bons lucros, e por isso se mantém como a ação preferida dos investidores, mesmo com a alta de juros.

Quem estuda ou investe no mercado de ações, sabe que a baixa do Ibovespa no momento atual é propícia para fazer alguns negócios, mas é importante saber que o momento é instável, e nunca se sabe a próxima decisão que o Copom pode vir a tomar. O aumento da Selic foi um começo par amostrar que os tempos podem mudar.

 
Susan Nogarthttps://manchetesdodia.com/
Susan Nogart, 30 anos. Formada em Ciências Biológicas e Produção de conteúdo para Web, ama animais, ciências e comportamento e é apaixonada por escrever. Trabalha com criação há mais de 10 anos.

Últimas Notícias

- Publicidade -

Notícias Relacionadas

Deixe um comentário

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui