31.4 C
Brasil
quinta-feira, 29 julho 2021
HomePolítica & PoderComo a história deveria ser para Tácito? Biografia feita por Gaston

Como a história deveria ser para Tácito? Biografia feita por Gaston

A história é obra de um orador e não de cronista, dizia o historiador Cícero. De acordo com ele, era necessário saber como enfeitar os fatos e acontecimentos.  Viveu em época parecida com Tácito e ambos criticam de forma intensa os antigos historiadores antes deles devido a falta de comprometimento e a tentativa de mudar a verdade em pró de suas opiniões.  

LEI DE NISSON 

A lei de Nisson prevê que o historiador se apegue em somente uma forma de pensar e pensador e, consequentemente, siga tudo o que o mesmo diz. Tácito fez isso com Plínio, o Velho. Ele não alterou nenhuma das ideias: apenas mudou as frases e formas de escrever para dar ainda mais brilho para a narrativa.  

Tácito criticava a forma de escrever de todos os outros historiadores e por isso fazia alterações. Algumas obras tinham contradições já que o mesmo trocaria trechos com a descoberta de documentos e não apagasse a outros.  

Estudou todos os historiadores e sempre tentava trazer nos relatos também os rumores que escutava, fazendo com que ficasse com a fama de quem não soubesse separar as informações. Apesar de sempre tentar dizer a verdade, apresentava muitas fontes sem as selecionar. Faz grande força para distinguir os fatos verídicos após tantas informações contrárias.  

- Continua Depois da Publicidade -

Leia mais: Por que o historiador romano Tácito elogiou o inimigo e criticou o Império Romano?

Sua obra tem retórica e o mesmo muda trechos e frases para que fiquem melhor escritas e faladas. Apesar dos acontecimentos serem reais, ele altera as falas e as deixa mais agradáveis e sonoras. Ou então, quanto não mudava, as reduzia e resumia, não deixava as falas completas no texto. Ele não deixava os relatos por completo porque acreditava que os textos não ficariam bons com mais de um tom de abordagem.  

Apesar de criticar a retórica em Diálogo, sofre com fortes influências dela em suas obras devido a educação que teve na disciplina. Os alunos pegavam temas e estudavam sobre ele de forma profunda, esquecendo-se das opiniões e se baseando somente em outros pesadores e argumentos, como foi com Tácito. 

Para ele, a história deveria ser uma moral –> o que se pode ou não fazer durante o tempo. Não deveria refletir sua opinião própria sobre os casos.  Para entender a sequência de posts e a biografia do historiador, clique aqui. 

 
Daiane Souzahttps://manchetesdodia.com/
Nascida em Santa Catarina, atualmente estuda história pela FURB, atuando com a redação política. Trabalha há mais de três anos como redatora profissional experiente em SEO e Copywriter. Apaixonada por literatura, filosofia e escrita.

Últimas Notícias

- Publicidade -

Notícias Relacionadas

Deixe um comentário

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui