18.5 C
Brasil
quinta-feira, 5 agosto 2021
HomePolítica & PoderCPI: Negros, indígenas e amarelos foram os que mais sofreram com a...

CPI: Negros, indígenas e amarelos foram os que mais sofreram com a Covid-19

Jurema, uma das cientistas que está comparecendo na CPI nesta quinta-feira (24), argumentou que os negros, indígenas e amarelos foram os que mais sofreram com a pandemia da Covid-19. Ela é uma ativista  e feminista que luta a favor dos movimentos negros, formada pela Universidade Federal do Rio de Janeiro.

De acordo com ela e Hallal, o número de infectados da Covid-19 é de 3 a 4 vezes maior que os valores que são informados pelo governo e que pode ter ultrapassado de 60 milhões. Os especialistas argumentam que o principal motivo de divergência dos valores ocorre porque uma parcela dos brasileiros não sentiu os efeitos colaterais e outra parte não foi ao médico. Logo, os valores não foram registrados com exatidão.

A CPI está contando com quase 40 mil telespectadores no início da tarde desta quinta-feira (24). Para assistir, basta ir até o canal TV Senado, exclusivo do governo federal. O vídeo deve continuar salvo para quem não consegue assistir em tempo real.

A cientista e ativista Jurema argumentou que o termo “imunidade de rebanho” é perverso e que o ser humano não é um animal ou gado. De acordo com ela, até mesmo quando o pecuarista deseja aplicar a imunidade, vacina os seus animais para garantir a segurança, o que não está acontecendo no Brasil.

CPI e Covid-19

- Continua Depois da Publicidade -

Hallal e Jurema abordam também sobre a falta de incentivos do governo federal para descobrir a realidade da Covid-19 entre os indígenas e negros. Entretanto, é possível saber por cima sobre as questões culturais e sociais. “Temos grupos que vivem em grupos maiores e, consequentemente, a transmissão é maior”, disse Hallal.

“As vacinações deveriam ter começado com as populações mais vulneráveis (…) as populações vulneráveis são as que mais morrem” disse ele ao defender a vacinação primeiro aos grupos vulneráveis em vez da idade para os mais idosos.

 
Susan Nogarthttps://manchetesdodia.com/
Susan Nogart, 30 anos. Formada em Ciências Biológicas e Produção de conteúdo para Web, ama animais, ciências e comportamento e é apaixonada por escrever. Trabalha com criação há mais de 10 anos.

Últimas Notícias

- Publicidade -

Notícias Relacionadas

Deixe um comentário

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui