18.5 C
Brasil
quinta-feira, 5 agosto 2021
HomePolítica & PoderEmanuela Medrades pode ser presa na CPI após relato contraditório

Emanuela Medrades pode ser presa na CPI após relato contraditório

Emanuela Medrades, que começou a prestar depoimento para a CPI na última terça-feira (13) e continua nesta quarta-feira (14), pode ser presa após prestar um depoimento contraditório em relação ao que deu no mês de março para o senado. Ela argumentou ontem que estava exausta e pediu para que o depoimento fosse adiantado mais um dia, o presidente da CPI, Omar,consentiu a prorrogação. 

Advogados argumentam que houveram imprecisões em seu argumento nesta semana em relação aos anteriores e foi devido a isso que se tornou um dos principais alvos da comissão parlamentar.  Aparada pelo pedido de habeas corpus, a mesma estava se recusando a responder uma série de perguntas que foram feitas pelos senadores. O pedido havia sido concedido na última segunda-feira (12). 

O erro foi em relação à data em que houve o envio dos invoices, que continham as informações básicas da empresa que estava fornecendo as vendas. 

Em suma, a importância dos dias ganhou mais destaque após os depoimentos do servidor público Santana. Ele argumentou que solicitou mais de três vezes para que a Covaxin fizesse algumas alterações necessárias para finalizar o contrato com a indiana. Entretanto, o documento sempre voltava faltando as informações básicas como o endereço em que estava a marca.  Ele disse que recebeu a proposta para ganhar propinas para cada uma das doses que fossem negociadas e que um dos negociadores era o coronel Blanco. 

Por que a Covaxin é algo da CPI?

- Continua Depois da Publicidade -

A Covaxin é alvo da CPI por uma série de motivos, sendo o primeiro deles a falta de um endereço concreto da empresa indiana. Além disso, eles estavam pedindo todos os pagamentos adiantados antes mesmo de entregar as doses compradas. O valor das vacinas da Covid-19 também estavam superfaturados em mais de 50% da média de mercado enquanto Bolsonaro argumentava a falta de verbas para negociar com a Pfizer, que era a mais barata. 

 
Susan Nogarthttps://manchetesdodia.com/
Susan Nogart, 30 anos. Formada em Ciências Biológicas e Produção de conteúdo para Web, ama animais, ciências e comportamento e é apaixonada por escrever. Trabalha com criação há mais de 10 anos.

Últimas Notícias

- Publicidade -

Notícias Relacionadas

Deixe um comentário

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui