28.9 C
Brasil
terça-feira, 3 agosto 2021
HomePolítica & PoderHaiti: entenda mais sobre a situação econômica e desvalorização monetária

Haiti: entenda mais sobre a situação econômica e desvalorização monetária

Na madrugada desta quarta-feira (07), o presidente do Haiti foi assassinado em sua casa por grupos de oposição. Ele deveria ter saído do cargo no dia 07 de fevereiro mas tentou aplicar o golpe de estado para continuar governando. Sua esposa, primeira dama, levou um tiro e teve que ser internada.

Muitas pessoas se questionaram sobre o que poderia ter feito com que os protestos começassem a acontecer. O primeiro deles é que o país é marcado por várias ditaduras e crises políticas, estavam há mais de seis anos sem realizar as eleições e o presidente estava atuando através de decretos.

Haiti

Além disso, o país, que faz fronteira com a República Dominicana, é um dos países mais pobres do mundo (em relação à pobreza, está na posição de 170 dentre os 181 países). O índice de desenvolvimento também é um dos mais baixos e está em 0,5.

Outro ponto, que fez com que a população fosse para as ruas, é que o governo estava sugerindo aumentar mais de 44% no valor dos combustíveis (gasolina, diesel e gás) para pagar o valor que iria receber no FMI que chegaria a mais de US$ 90 milhões. A população vive com menos de US$ 2 ao dia, valor que seria equivalente a pouco mais de R$ 300 no mês com o dólar custando R$ 5,19.

- Continua Depois da Publicidade -

A moeda haitiana também é uma das mais desvalorizadas, custando na faixa de R$ 0,05. Já em relação ao dólar, custa na faixa de US$ 0,011.

O Haiti não é o único país que foi marcado, na América, por uma série de ditaduras. A Colômbia também pode ser citada. Em suma, o país também estourou em protestos no ano de 2021 com a suposição de que o governo colombiano iria aumentar os impostos: os ricos estavam ficando pobres e não tinham dinheiro para comprar itens básicos.

Acompanhe o Manchetes do Dia para saber mais.

 
Daiane Souzahttps://manchetesdodia.com/
Nascida em Santa Catarina, atualmente estuda história pela FURB, atuando com a redação política. Trabalha há mais de três anos como redatora profissional experiente em SEO e Copywriter. Apaixonada por literatura, filosofia e escrita.

Últimas Notícias

- Publicidade -

Notícias Relacionadas

Deixe um comentário

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui