26 C
Brasil
sábado, 27 novembro 2021
HomePolítica & PoderQueda da República Romana - contexto histórico

Queda da República Romana – contexto histórico

QUEDA DA REPÚBLICA: No ano de 146 ac, Roma venceu Cartago e Corinto. Então, começaram a chegar muitas pessoas na região, inclusive escravos. O custo de vida aumentou assim como a quantidade de impostos que eram usados, a partir de agora, para as expedições contra outros grupos e regiões: agora, queriam expandir ainda mais o território e gastar com exércitos.

Muitas vezes, faltavam terras para a alta quantidade de pessoas e muitos patrícios não abriam mão de suas terras. Políticos, já em 135 a.c, começaram a elaborar campanhas para realizar reajustes de terras de patrícios: a reforma agrária. No entanto, os patrícios se revoltaram contra as reformas do Tibério. Anos depois disso, Crasso, que era irmão de Tibério, tentou dar continuidade às políticas de reformas.  

Nos períodos de 130 ac até 60 ac ocorreram vários conflitos internos como a revolta de Spartacus (73 e 71 a.C), que era um escravo e se revoltou para que houvesse a liberação de outros escravos. No entanto, ele acabou sendo morto.  

Com tanta expansão e cobrança de impostos, o número de senadores duplicou, saindo de 300 para 600 e todos queriam tirar uma parcela dos cofres públicos para pagar os gastos que tiveram nas festas antes de se elegerem.  

Queda da República de Roma

- Continua Depois da Publicidade -

No ano de 60 ac, contavam com três cônsules (chamado de primeiro triunvirato), o normal eram apenas dois deles: Júlio César, Pompeu e Crasso. Crasso era mais conhecido porque era rico e não por suas estratégias militares. Ele é lembrado até os dias atuais porque tentou realizar uma expedição contra os partos e, sem ter uma estratégia específica, acabou morrendo junto a 50 mil romanos. Por isso, o termo “erro crasso” hoje é visto como sinônimo de estupidez. Quando Crasso morreu, Pompeu e Júlio César começaram a se desentender.  

Cada cônsul tinha que ficar em suas zonas de influência – ou seja, nos territórios que estavam conquistando. No entanto, Júlio César começou a invadir o espaço do Pompeu e as tensões ficaram ainda maiores. Ambos ficaram 4 anos em guerra civil e Pompeu foi morto em 48 ac. O senado começou a se revolver com Júlio César porque ele governava como único cônsul e não tinha outro cônsul para limitar seus poderes. Isso poderia colocar em risco a república. No ano de 44 ac eles matam Julio Cesar.  

Como o Júlio César tinha dado muitas festas e comidas para o povo, as pessoas gostavam dele e não estavam interessadas se ele era uma ameaça ou não para a República. Começaram a se revoltar contra os senadores que mataram Júlio César.  

Já o segundo triunvirato, foi formado em 43 ac. Foi composto pelo sobrinho de Julio Cesar, Caio Otávio e também por Marco Antônio e Lépido. No mesmo ano, Lépido foi expulso e começou uma guerra civil entre os dois membros que restaram. 

Daiane Souzahttp://visaoconfiavel.com/
Formação em jornalismo pela Uniasselvi e em história pela FURB. Amante, desde o ano de 2017, pela produção de conteúdos, notícias e redação em geral. Atualmente, trabalha como redatora da agência jornalística Visão Confiável (http://visaoconfiavel.com/).

Últimas Notícias

- Publicidade -

Notícias Relacionadas

Deixe um comentário

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui