27.9 C
Brasil
sábado, 31 julho 2021
HomeSaúde & Bem EstarDose única da vacina da Johnson é eficaz contra Covid-19 e contra...

Dose única da vacina da Johnson é eficaz contra Covid-19 e contra variante sul-africana

A Agência de Alimentos e Medicamentos (FDA), publicou um documento nesta quarta-feira em que afirmava que a vacina Johnson & Johnson, administrada em apenas uma dose, oferece proteção aos casos mais graves da Covid 19 e protege o paciente da nova variante sul-africana. Nos Estados Unidos, a eficácia é de 72% contra os 64% da variante. Em casos mais graves, a eficácia foi uma média de 85% quando analisados os dois aspectos. 

Leia mais: Cientista diz que variante britânica do coronavírus varrerá o mundo

Ao todo, o mundo está alcançando a faixa de 2,5 milhões de mortos, sendo quase 250 mil deles somente no Brasil. A vacinação ocorre de forma lenta, principalmente pelo fato de que Bolsonaro se recusa a comprar as seringas pelos altos preços de mercado devido ao pico da pandemia. 

Vale ressaltar que a Johnson tem eficácia menor quando comparada com a Moderna e Pfizer/BioNTech que, quando administradas em duas doses, chegam a eficácia de 95% na África do Sul. Ao todo, os testes foram realizados com mais de 44 mil pessoas espalhadas na América do Sul, Norte e Latina. Cerca de  7.560 brasileiros são voluntários nos testes.

- Continua Depois da Publicidade -

Leia mais: Brasil já passa de 244.737 mortes de Covid e não tem plano de vacinação

Covid 19 diminuiu pico global e tem pico no Brasil 

O pico global da Covid 19 ocorreu entre o dia 20 de janeiro, logo após a virada do ano. No caso do Brasil, o pico está ocorrendo e já são mais de 1053 mortes diárias no país. Nenhuma pessoa vacinada com Johnson morreu e todos foram recuperados. Pode acontecer da Anvisa solicitar o uso emergencial do desenvolvimento. 

Leia mais: Mortes de Covid 19 chegam a quase 2,5 milhões em escala mundial

Ao todo, o Brasil já tem uma dívida de R$ 700 bilhões e a Pfizer não está aceitando as condições brasileiras para a venda: a norte-americana deseja que haja comprovações de pagamento antes de produzirem novas levas. Os resultados positivos da Johnson começam a aparecer após 28 dias da vacinação, o que pode ser uma possibilidade brasileira. 

 
Daiane Souzahttps://manchetesdodia.com/
Nascida em Santa Catarina, atualmente estuda história pela FURB, atuando com a redação política. Trabalha há mais de três anos como redatora profissional experiente em SEO e Copywriter. Apaixonada por literatura, filosofia e escrita.

Últimas Notícias

- Publicidade -

Notícias Relacionadas

Deixe um comentário

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui