36.3 C
Brasil
sábado, 31 julho 2021
HomeSaúde & Bem EstarOsteoporose: o que é, sintomas e características

Osteoporose: o que é, sintomas e características

A osteoporose é o resultado da perda gradual da densidade óssea devido a vários fatores, entre eles, deficiência nutricional e o desgaste natural com o avançar da idade.

Trata-se de uma doença sistêmica do metabolismo orgânico, e que, de acordo com dados da OMS (Organização Mundial da Saúde), atinge cerca de 200 milhões de mulheres ao redor do mundo e provoca fraturas em 1 de cada 3 mulheres em algum momento das suas vidas.

Apesar de não ser um privilégio das mulheres, elas são as mais afetadas pelo distúrbio, porém homens sedentários, com péssimos hábitos de vida e com deficiências nutricionais também podem ser acometidos, principalmente a partir dos 50 anos de idade.

Dentre as principais causas da osteoporose, podemos destacar a baixa ingestão (ou absorção) de cálcio ao longo da vida – o principal reparador da estrutura óssea do organismo. Mas também a negligência quanto à prática de atividades físicas e questões genéticas ligadas a uma maior propensão à perda dessa densidade óssea a partir de uma certa idade.

Osteoporose: sintomas e como tratar

- Continua Depois da Publicidade -

Como dissemos, a idade é um dos principais fatores para a ocorrência de osteoporose em um indivíduo, pois, a partir dos 35 anos, a densidade óssea para de aumentar, e caso não haja a reposição a contento, o resultado pode surgir na forma de fraturas e até mesmo o comprometimento dos movimentos normais do dia a dia.

Um dos problema com a osteoporose é o fato de ela ser uma doença silenciosa. Porém é possível ocorrer alguns sintomas, como por exemplo, o aumento da sensibilidade dos ossos, dores na região lombar, dores no pescoço, e até mesmo a sensível diminuição da estatura com o passar dos anos.

Para um diagnóstico preciso, é importante, logo aos primeiros sinais, consultar um ortopedista ou clínico geral, para que ele recomende exames de densitometria óssea, radiografias, dosagem de hormônios; e tudo isso para um tratamento à base de Bisfosfonatos, Raloxifeno, Teriparatida, reposição de estrogênio; ou até mesmo, nos casos mais graves, uma intervenção cirúrgica.

Leia mais: Chás para dormir: quais os melhores deles?

 

Últimas Notícias

- Publicidade -

Notícias Relacionadas

Deixe um comentário

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui