28.1 C
Brasil
segunda-feira, 14 junho 2021
HomeSaúde & Bem EstarPessimismo: O olhar negativo que pode indicar um transtorno mental

Pessimismo: O olhar negativo que pode indicar um transtorno mental

Existem aquelas pessoas que sempre vêm o copo meio vazio, os pessimistas e aqueles que tem um olha negativo sobre tudo. Mas já parou para pensar que o pessimismo pode ser considerado um transtorno mental? O comportamento de pessoas que estão a todo tempo sendo críticas demais ou de mal humor, sendo chatas e implicantes, o que consideramos como personalidade, pode não ser.

De acordo com especialistas esses comportamentos quando são muito recorrentes podem ser diagnosticados como um transtorno mental, que muitas vezes mostra o lado ruim de conviver com essas pessoas. Para entender melhor como o pessimismo pode afetar essas pessoas, continue lendo.

Pessimismo ou depressão confundida com a personalidade?

Um dos principais transtornos confundidos com esse tipo de comportamento é a depressão. Na grande maioria das vezes o paciente tem outra doença quando é muito pessimista. Ela se chama distimia. A distimia é um tipo de depressão que deixa o paciente de mau humor, sempre negativo com tudo que acontece ou pode acontecer.

Porém, a grande diferença entre esse pessimismo e os demais tipos de depressão são a funcionalidade. A distimia não afeta o indivíduo de forma visível, ele continua sendo funcional e trabalhando no dia a dia normalmente. É uma depressão de grau leve, não altera questões fisiológicas do paciente, e por isso, a grande maioria das pessoas demora a perceber.

Leia mais: Como é dado o diagnóstico de um transtorno mental

Diagnóstico

Geralmente esse tipo de caso com pessimismo é detectado tardiamente. Isso porque a grande maioria das pessoas ao redor ou se afastam do paciente chato, ou quando percebem que não se trata de um traço de personalidade muito tempo já se passou. Sendo assim, os principais sintomas a se observar de quem tem esse transtorno é observar os sintomas de depressão maior, que costumam estar associados. De uma forma geral, após ser diagnosticado o paciente passa a fazer tratamentos com terapia, e em alguns casos medicamentos até que os sintomas amenizem.

 
Susan Nogarthttps://manchetesdodia.com/
Susan Nogart, 30 anos. Formada em Ciências Biológicas e Produção de conteúdo para Web, ama animais, ciências e comportamento e é apaixonada por escrever. Trabalha com criação há mais de 10 anos.

Baixe Nosso Aplicativo

Últimas Notícias

Notícias Relacionadas

Deixe um comentário

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui