22.9 C
Brasil
segunda-feira, 19 abril 2021
Home Saúde & Bem Estar Psoríase: o que é, características e sintomas

Psoríase: o que é, características e sintomas

A psoríase é uma doença autoimune, que ocorre quando o nosso próprio sistema imunológico se volta contra nós atacando as células sadias do organismo.

O resultado dessa agressão (no caso da psoríase) é o surgimento de lesões descamáveis, em um tom avermelhado, e que manifesta-se em várias partes do corpo, como mãos, pés, cabelo, unhas, joelhos, e até mesmo nos órgãos genitais.

A doença não é contagiosa, mas pode tornar-se agressiva para o portador, especialmente nos casos mais graves, que podem até mesmo exigir intervenções mais profundas, como a administração de drogas intravenosas para um tratamento sistêmico.

Por ser uma doença autoimune, a psoríase não tem cura, mas pode ser prevenida por meio de algumas precauções básicas, como tomar sol regularmente, evitar o excesso de esfoliações na pele, dar preferências às roupas de algodão, evitar banhos quentes e demorados, entre outros cuidados que podem fazer toda a diferença para a prevenção do transtorno.

Psoríase: causas, tipos e tratamento

Os tipos mais comuns de psoríases são a “vulgar” (a forma mais comum), “gutata”, “invertida”, “pustulosa”, “eritrodérmica” e “ungueal”.

Os sintomas mais comuns da maioria delas são a formação de placas (ou escamas) esbranquiçadas, com variados tamanhos, em tons avermelhados, e que nos casos menos graves limitam-se a um aspecto visual desagradável.

Já os casos mais graves podem ser acompanhados por coceiras, rachaduras, sangramentos e formação de pústulas; sintomas que devem ser acompanhados por um bom dermatologista, que geralmente prescreve um tratamento à base de pomadas, fototerapia ou medicamentos sistêmicos.

Para os tratamentos com pomadas, substâncias à base de corticoides, dexametasona, hidrocortisona, entre outras, são as mais indicadas. Já os tratamentos sistêmicos mais apropriados são feitos à base de ciclosporina, metrotexato, medicamentos biológicos, entre outras composições. Enquanto a fototerapia utiliza raios utravioletas, mas somente para os casos mais graves.

Leia mais: 38% dos homens brasileiros tiveram disfunção erétil nos últimos dois anos

 

 

Baixe Nosso Aplicativo

Últimas Notícias

Notícias Relacionadas

Deixe um comentário

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui