33.4 C
Brasil
terça-feira, 22 junho 2021
HomeSaúde & Bem EstarUrticária crônica espontânea: como identificar

Urticária crônica espontânea: como identificar

Os pacientes que sofrem com o quadro de urticária crônica espontânea podem ter suas vidas afetadas de várias formas, incluindo não poder sair de casa, ir trabalhar ou ver amigos. O quadro clínico na doença afeta a pele, que acontece de maneira espontânea e além disso, pode afetar pacientes de todas as idades.

Por ser uma doença difícil de diagnosticar, muitas vezes o paciente passa por diversos médicos até que se descubra o quadro de urticária crônica espontânea. Para saber como identificar é preciso conhecer um pouco mais sobre a doença e para isso, continue lendo.

O que é urticária crônica espontânea?

A doença é caracterizada por ocorrências que acontecem na pele de forma espontânea, não é contagiosa e pode gerar inchaços muito rápidos e durar até 6 semanas. A doença pode ser causada por agentes que afetam cada pessoa de forma diferente. Como alimentos, fatores externos, cosméticos, produtos químicos, etc. A urticária pode afetar cerca de 1% da população, e desse total 66% é a urticária crônica espontânea, daí a importância saber identificar a doença para procurar ajuda e tratamentos adequados.

Existem alguns programas que são feitos para conscientizar a população sobre o assunto, e o evento acontece exatamente para trazer mais dados sobre a doença, assim como histórico de pessoas que já passaram por isso e sofrem com o quadro clínico.

- Continua Depois da Publicidade -

Leia mais: 9 coisas que você não sabia sobre asma

Como identificar a doença

Para identificar a urticária crônica espontânea é preciso avaliar os sintomas, que acontecem primeiramente com manchas vermelhas, coceira muito intensa, dificuldade para dormir, estresse, irritação, falta da qualidade de vida, improdutividade entre vários outros. Essa doença afeta principalmente pacientes que já possuem psoríase, vitiligo, hanseníase e outros quadros que afetam a pele. O diagnóstico precisa ser feito por um médico especializado que também será o responsável por indicar o tratamento mais eficaz de acordo com cada quadro da doença. Mas é uma doença difícil de ser identificada, podendo levar até 10 anos para isso.

 
Susan Nogarthttps://manchetesdodia.com/
Susan Nogart, 30 anos. Formada em Ciências Biológicas e Produção de conteúdo para Web, ama animais, ciências e comportamento e é apaixonada por escrever. Trabalha com criação há mais de 10 anos.

Últimas Notícias

- Publicidade -

Notícias Relacionadas

Deixe um comentário

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui