25.8 C
Brasil
quinta-feira, 15 abril 2021
Home Saúde & Bem Estar A Vacina de Oxford pode chegar a 80% de eficácia, afirmam pesquisadores

A Vacina de Oxford pode chegar a 80% de eficácia, afirmam pesquisadores

Em média, a eficácia da Vacina de Oxford pode chegar a 80%, é o que concluíram os pesquisadores da Universidade de Oxford e da farmacêutica AstraZeneca. Eles concluíram, também, que ela demonstra ser eficaz em quase 100% dos casos graves de Covid-19, especialmente nos casos sintomáticos da doenças.

Dessa forma, a farmacêutica já trabalha a todo o vapor para conseguir autorização para aplicar a vacina em caráter emergencial nos Estados Unidos, enquanto no Brasil a vacinação já ocorre desde a segunda quinzena de janeiro, já com o registro permanente devidamente concedido pela ANVISA, e um total de 4,1 milhões de vacinados.

Tecnicamente, a Vacina de Oxford demonstrou uma eficácia de 79% na média obtida nos diferentes padrões de indivíduos, o que significa dizer que poderíamos ter quase 80% a mais de doentes sintomáticos caso a vacinação não houvesse sido posta em prática no país e em algumas partes do mundo.

Avançam os testes da fase 3 da Vacina de Oxford

Já foi dada a largada para a fase 3 dos testes com a vacina. Os países que saíram na frente fora os Estados Unidos, Peru e Chile, que agora analisam o quão verdadeiramente eficaz e segura ela é, especialmente quando já se ensaia uma aplicação em massa, que certamente irá exigir ainda mais eficácia da vacina.

Nos Estados Unidos, cerca de 32.400 voluntários já se habilitaram para os testes. Eles estão tomando 2 doses com um intervalo de 4 semanas, que deverão ser aumentadas para 12, já que quanto maior o intervalo entre uma vacina e outra mais eficaz ela tem demonstrado ser.

Por isso, os Estados Unidos agora já cogitam a possibilidade de solicitar a aprovação do uso emergencial dessa Vacina de Oxford o quanto antes, o que fará com ela junte-se à da Pfizer, Moderna e Johnson, para, juntas, comporem o chamado “pelotão de frente” contra a Covid-19, que já contabiliza cerca de 120 milhões de casos, 2,7 milhões de mortes e quase 70 milhões de recuperados em todo o mundo.

Leia mais: Chás para emagrecer: quais os melhores deles?

 

Baixe Nosso Aplicativo

Últimas Notícias

Notícias Relacionadas

Deixe um comentário

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui