27.9 C
Brasil
sábado, 31 julho 2021
HomeTecnologia & CiênciaO núcleo de Marte é bem maior do que pensávamos, diz os...

O núcleo de Marte é bem maior do que pensávamos, diz os especialistas

Pela primeira vez um planeta, além da Terra, tem o seu núcleo medido. Isso aconteceu com o núcleo de Marte, após uma missão realizada pela espaçonave “Insight”, lançada pela Nasa em 2018.

Segundo os especialistas envolvidos na missão, por meio das “energias sísmicas” oriundas do interior do planeta, foi possível calcular que o núcleo de Marte tem entre 1.810 e 1.860 km, o que significa pouco menos da metade do da Terra, que possui cerca de 4.600 km.

Esse resultado é bem menor do que os cientistas imaginavam, por isso a descoberta teve o poder de renovar as esperanças de que, sendo menos denso do que a Terra, o núcleo de Marte possa abrigar um sem número de elementos leves, entre os quais, o ferro, oxigênio, hidrogênio, enxofre, entre outras substâncias tão ou mais importantes para a existência de alguma forma de vida marciana.

As singularidades do núcleo de Marte

A descoberta sobre esse tamanho do núcleo de Marte foi apresentada durante a LPSC (Conferência de Ciência Lunar e Planetária), na cidade de Houston, nos Estados Unidos, na última quarta-feira (17). Ela também concluiu que a formação do planeta possui características bastante semelhantes às da Terra, como uma divisão em crosta, manto e núcleo, por exemplo.

- Continua Depois da Publicidade -

Mas tudo isso só foi possível graças a uma tecnologia extremamente avançada, que permitiu a identificação de ondas de energias sísmicas que ocorrem do núcleo de Marte em direção à superfície.

Graças a isso, em um tempo não tão distante, será possível entender os pormenores da formação e evolução do Sistema Solar; a começar por planetas como Marte, que agora já se sabe ter possuído um campo magnético semelhante ao da Terra e um nível de atividade sísmica mediana, em relação à pouca atividade da Lua e à grande atividade da Terra, entre outras descobertas que deverão cair como uma verdadeira bomba no meio científico nos próximos anos.

Leia mais: O asteroide 2001 FO32 passa próximo da terra, mas não há riscos, diz os cientistas.


 

Últimas Notícias

- Publicidade -

Notícias Relacionadas

Deixe um comentário

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui