Serafim promove sessão especial em homenagem a economistas do AM | Manaus

134
Serafim promove sessão especial em homenagem a economistas do AM | Manaus
4.7 (93.33%) 3 voto[s]

Na ocasião, no plenário Ruy Araújo, da ALE-AM, dez economistas vão receber certificados de honra ao mérito

A Assembleia Legislativa do Estado (ALE-AM) realiza nesta terça-feira (13), uma sessão especial em homenagem aos economistas do Amazonas. De autoria do deputado estadual Serafim Corrêa (PSB), que é profissional da área, a sessão vai celebrar o Dia do Economista, comemorado anualmente na mesma data.

“O economista foi, é, e será sempre necessário para a sociedade moderna, mais do que nunca nós precisamos ter inteligências a serviço de encontrar caminhos que melhorem a vida das pessoas e o profissional que cuida disso, que cuida da atividade econômica, que cuida de orientar os melhores caminhos, é exatamente o economista”, disse Serafim.

A sessão especial será realizada às 13h, de terça, no plenário Ruy Araújo, da ALE-AM, localizada na avenida Mário Ypiranga Monteiro (antiga Recife), nº 3.950, bairro Parque 10 de Novembro, na Zona Centro-Sul.

Uma placa de reconhecimento profissional será entregue ao presidente do Conselho Regional de Economia (Corecon), da 13ª Região-AM, Mourão Júnior. O Conselho é a Autarquia Federal legalmente constituída para registrar, disciplinar e exercer a fiscalização das pessoas físicas e jurídicas que atuam no campo profissional do economista.

Continuar Lendo

Na ocasião, dez economistas vão receber certificados de honra ao mérito, são eles: Admilton Pinheiro Salazar; Valdenei de Melo Parente; Antônio Ivaldo Bezerra da Silva; Jefferson Praia Bezerra; Nelson Azevedo dos Santos; Francisco de Assis Mourão; Sylvio Mario Puga Ferreira; Nilson Tavares Pimentel; Osiris Messias Araújo da Silva e Denise Kassama Franco do Amaral.

Dados do Corecon-AM, apontam o registro de 3.200 economistas no Amazonas, registrados e ativos, que estão atuando na iniciativa pública e privada. Em todo o país, são 240 mil profissionais, conforme dados do Conselho Federal de Economia (Cofecon).

Fonte: Jornal A Crítica